3 de abr de 2012

O que significa Traição para você?


Traição

Em uma ocasião em um atendimento em Psicoterapia atendi um rapaz com problemas que se repetiam nos relacionamentos afetivos. Ele sentia muita raiva só de pensar na possibilidade de ser traído. Esse tema o incomodava de uma maneira muito profunda. O sentimento desconfortável se manifestava sempre que ele ouvia falar de alguma traição,


fosse na televisão, revista ou em conversa com amigos. Se algum amigo falasse que foi numa balada sozinho, sem a namorada e paquerou ou ficou com alguém, ele se sentia bastante irritado e se tornava agressivo com a pessoa chamando-a de idiota e questionando o por que desse tipo de comportamento.

Toda essa raiva escondia um medo profundo de ser traído e se sentir rejeitado. A raiva muitas vezes é apenas uma máscara que esconde uma fragilidade. 

Quando guardamos esse tipo de sentimento, nossa mente começa e procurar involuntariamente por fatos e indícios de que a outra pessoa está nos traindo. Pois as emoções negativas filtram e distorcem a realidade, e era exatamente isso que acontecia com ele.

Uma olhada pro lado que a namorada desse ou um comentário qualquer, sempre a levava a concluir que a pessoa estava com intenção de traí-lo. Nesse momento ele sentia muita raiva, criava uma confusão e acabava por terminar o relacionamento. Isso dava origem a sofrimento pra ele e para o outro.

Esse medo e raiva constante o deixavam bastante tenso. Sendo assim todo relacionamento era um tormento. Embora por um lado ele quisesse se relacionar, por outro lado sentia um alívio quando acabava um namoro já que a tensão também acabava. Mas logo em seguida surgia o sentimento de frustração por não conseguir se relacionar.

Ele dizia que na hora em que acontecia algum evento, a emoção da raiva vinha com toda força e ele simplesmente não conseguia agir de outra forma. Depois de passado o "ataque" da raiva, ele conseguia enxergar o que havia feito, mas já era tarde demais. E depois em outra ocasião, ou em outro relacionamento, a mesma história se repetia. Era como se "algo" a tivesse tomado por completo. E esse "algo" era simplesmente uma forte carga emocional de medo com a mácara  de raiva.

As emoções negativas que guardamos tem o poder de nos deixar inconscientes (ou seja, parece que nossa capacidade adulta de sustentá-la, fica anestesiada,imobilizada). Ficar inconsciente significa se deixar absorver pela energia da emoção( que é puro impulso , assim como uma criança que é só querer) e permitir que ela tome conta dos nosso pensamentos e ações. Nesse momento não somos mais nós mesmos, somos a emoção(criança) que se apoderou da nossa mente, ou seja se colocou á frente da capacidade racional e da percepção exata dos fatos que tem um adulto. Perdemos a lucidez temporariamente. O grau da perda da lucidez varia de pessoa pra pessoa e varia também conforme a força da emoção que vem a tona.

Todos nós, em maior ou menor grau, permitimos que isso ocorra. Em casos mais graves a pessoa pode se tornar violenta e cometer um crime. Mas nem sempre agimos de uma forma assim tão visível. A perda de lucidez que a emoção provoca (pelo fato de que o aspécto emocional em nós é uma parte de nossa Luz que foi escondida no escuro de uma caverna , pela interpretação distorcida que tecemos da realidade em algum momento de nossa existencia) pode nos levar a fazer comentários desagradáveis, piadas maldosas, fofocas. Em outros casos não tomamos  nenhuma ação mas pensamentos desagradáveis ficam rodando na nossa cabeça gerando mais sentimentos negativos.

É preciso ficar muito atento para observar essa perda da lucidez, seja qual for o grau em que ela se apresente. No momento que conseguimos enxergar essa perda, já estaremos mais lúcidos. Um louco que consegue ver a sua loucura está menos louco do que o outro que acredita piamente nas suas fantasias e não consegue observá-las. Essa tomada de consciência, por menor que seja, é o ponto de saída que pode nos levar a uma lucidez mais profunda e a libertação do vício no padrão emocional e persistência no círculo Vicioso.

Além ter essa reação emocional intensa durante situaçoes corriqueiras e conversas, ele também ficava tendo pensamentos negativos imaginando a namorada indo para uma balada sozinha. E quando ele começava a imaginar esse tipo de situação, a raiva vinha também com bastante força. Durante o atendimento que fiz com ele pedi que visualizasse a situação para deixar vir a emoção a tona. A carga emocional veio de forma intensa pelo simples fato de ficar fantasiando uma situação , neste momento terapeutico, pedi a ele que se permitisse a ver no decorrer de sua Vida , algum outro fato que o fez sentir aquele mesmo sentimento .

Durante o processo terapeutico ele foi trazendo a desconfiança que ele tinha do pai e depois também da mãe. Ele sentia raiva e tristeza ao pensar que eles já poderiam ter traído um ao outro.

Era inadimissível para ele que seus pais viviam juntos , porém por alguns motivos e situações em que chegou a ser cumplice de como seu pai tratava outras mulheres e sua mãe outros homens que faziam parte de seu circulo de amizades e de trabalho, mais não tinha certesa ,para ele (no nível da Fantasia e pelos desentendimentos dos pais por ciúmes que presenciou quando criança) seus pais viviam outros relacionamentos fora do casamento.

Depois de vários processos terapeuticos, ele já conseguia pensar e falar em traição sem chorar e observou que o tema o incomodava de uma maneira muito menos intensa, pois acabou percebendo que ele se sentia traído pelos pais , os via como não confiáveis no sentimento que ele gostaria que tivessem por ele na ocasião em que tais fatos aconteciam em reuniões em sua casa ou fora dela quando estava junto, então acabava tendo a mesma reação agindo como se ainda fosse aquela criança , ressentida com o desamparo. 

Em uma outra ocasião depois de um certo tempo ele relatou que seu primo, que estava namorando, havia contado pra ele de suas aventuras sozinho na balada. E a reação dele foi surpreendentemente tranquila, chegou até a rir do que o primo falava. Antes a reação dele seria de raiva, chegando a julgar ferrenhamente o primo.

A partir do momento em que os sentimentos são devidamente e amorosamente confrontados a nossa reação muda completamente. Sem mais aquela carga acumulada de medo e raiva ela pode ficar em paz diante daquilo que o primo contava. Não havia mais a expressão dimensionada pelo fato do primo ter ficado na Balada com outras garotas que não fosse sua namorada, a projeção, o despertar de sua própria negatividade e o reconhecimento sem as pseudoassociações com as interpretações distorcidas e fantasias de sua criança não tinha mais link com aquele fato isolado ao qual não se sentia mais impulsionado a julgar.

Por aí provavelmente seus próximos relacionamento certamente serão mais fáceis. E se ainda surgir algum resquício do velho padrão, com certeza ele terá maior domínio sobre tal impulso negativo que existe e sempre estará lá dentro de nós até que seja totalmente transformado , pois já passamos por outras existêcias neste Caminho de Autotransformação, mas quando reconhecemos nossa negatividade e distorção , passamos á ser lúcidos sobre elas e mais responsáveis sobre nossa capacidade de criarmos o Mal á partir do momento quando atuamos da forma negativa, com paciência e persistência, a mudança de comportamento só ocorre quando há a conscientização (clareza) da emoção que está por trás do comportamento nocivo no caso deste rapaz , a crença deque jamais poderá confiar .

Em qualquer situação difícil, a melhor forma de lidar com o problema é primeiro confrontar amorosamente e sem julgamentos nossos sentimentos negativos em torno da situação: nossos medos, mágoas, raiva e quaisquer outras emoções. Ao fazer isso vamos limpando a negatividade que turva e influencia nossos pensamentos , ações e distorção da Realidade. Um sentimento de paz se estabelece e é partir desse estado que brota a nossa sabedoria. Nossos pensamentos se tornam mais claros e nossas ações mais eficazes.

É difícil chegar nesse estado de Paz sózinho. Mas com o auxilio de um profissional Psicoterapeuta conseguimos curar essas emoções e em muitos casos rapidamente sentimos o alívio. Com o alívio brotam os insights e a clareza do que deve ser feito.

Desejo a todos excelentes insights sobre suas questões ou entraves Emocionais.
Tenham uma Boa Semana e uma Feliz Páscoa!




ROSEMARI PADILHA - PSICOTERAPEUTA
ATENDIMENTOS EM S.ANDRÉ, SPAULO E PIRACICABA
11-8303.0114 (CLARO)   11-8257.6815 (TIM)


Nenhum comentário:

Postar um comentário