28 de out de 2011

Como chegar à Terceira Idade com Saúde

Os anos passam e... o que acontece?

Por volta dos 25 anos, o corpo humano inicia uma série de transformações características do envelhecer. Altera-se a composição corporal, diminui a água dentro das células, a gordura aumenta (especialmente na cintura pélvica: quadris e abdômen), há perda de massa muscular e decai o ritmo de renovação celular em quase todos os órgãos, que passam a funcionar com menos eficiência. Por isso, os cuidados preventivos são essenciais para a boa condição física durante todo o percurso das nossas vidas.

Pele: Precisamos beber mais água – mesmo sem sentir sede – pois aí existe uma armadilha. Com a idade, nosso centro da sede tende a perder sensibilidade e passa a não transmitir o alerta adequado. Algumas pessoas chegam a passar, sem esforço algum, dois dias sem ingerir água! Isso leva ao ressecamento da pele, dos olhos, dos intestinos e pode comprometer ainda mais a função renal. Além de beber água, homens e mulheres precisam passar creme hidratante em toda a pele e filtro solar no rosto (e na careca). Nossa pele é a barreira do corpo entre o seu meio interno e o externo. Quando ela se rompe, ficamos sujeitos a infecções. Com a pele vitalizada, evitaremos o prurido (coceira), queixa comum das pessoas idosas e que ocorre devido ao seu ressecamento. E a pele terá mais elasticidade, resistindo melhor aos traumatismos. Em resumo: quando a pele fica seca, ela coça e rompe ao menor trauma, levando a lesões que podem infeccionar. Outro alerta: mantermos em dia a vacinação contra tétano. Ninguém está livre de cair e ralar os joelhos, os braços ou qualquer outra parte do corpo. De imediato, temos que lavar o local machucado com água e sabão e aplicar água oxigenada. E a pessoa vacinada não corre o risco de contrair o tétano. E na hora do banho? Só devemos passar sabonete no rosto, pescoço, axilas, genitália e pés. No resto do corpo, basta água, nunca muito quente. 

Tecido celular subcutâneo: Ele se localiza logo abaixo da pele e vai diminuindo com a idade. O primeiro local onde essa diminuição ocorre é ao redor dos lábios, fazendo surgir o que é popularmente chamado de “código de barras”. As mulheres identificam bem essa alteração após  passarem batom cremoso, quando ele sai em linha perpendicular, borrando a maquiagem. Perdemos o nosso “casaco” fisiológico e, por isso, é comum os idosos sentirem mais frio. O ambiente e as próprias pessoas precisam estar aquecidas. Nossas veias e tendões ficam mais expostos; daí todo o cuidado ao suspender ou carregar uma pessoa idosa, pois a um pequeno trauma podem surgir hematomas. Precisamos saber disso para orientarmos os cuidadores e, também, não imaginarmos erroneamente que houve maus tratos.

Musculatura: Esta diminui ao longo dos anos em todo o corpo. Nossa velocidade para andar diminui, os pés levantam a uma menor altura do chão. O risco de queda aumenta. Nossa expansibilidade pulmonar diminui. Daí um resfriado comum com secreção pode evoluir para uma pneumonia, pois a tosse que expele a secreção já não é tão eficaz. Nos intestinos, a peristalse é mais lenta e, com a desidratação fisiológica, há tendência à constipação intestinal. Até os movimentos palpebrais são afetados, lentificando aquele simples olhar para cima, quando estamos dirigindo e precisamos mirar o retrovisor.


Visão: Com o envelhecimento, sofremos pequenas alterações visuais como um menor contraste das cores e a necessidade de maior tempo para adaptação quando entramos em um lugar escuro. Daí, os ambientes por onde circulam pessoas idosas devem ser bem iluminados. O idoso deve ir ao oftalmologista ao menos uma vez ao ano, não só para o médico observar o grau das lentes (se  continuam adequadas), mas, principalmente, para um exame ocular abrangente. Como nas demais especialidades, os diagnósticos precoces trazem maior chance de sucesso no tratamento, como é o caso do glaucoma e da doença degenerativa macular, que podem levar até à cegueira se não tratados a tempo. 

Pálpebras: O tecido colágeno vai diminuindo e os tecidos tornam-se flácidos. É o que acontece com as pálpebras. A queda das pálpebras superiores traz uma limitação na visão lateral. As pessoas podem esbarrar em obstáculos e se ferirem e até sofrer atropelamentos ao atravessar as ruas por não verem, por exemplo, uma bicicleta que se aproxima. Já a queda das pálpebras inferiores leva ao lacrimejamento, conjuntivite e até infecções. .A correção dessa alteração é realizada por uma simples cirurgia plástica em nível ambulatorial. Não há necessidade de internação. Como a cirurgia é corretiva e não estética, ela pode ser feita gratuitamente através do SUS.


Audição: É normal, com o avanço da idade, haver diminuição da audição, mas sem ter prejuízo na rotina do dia-a-dia. Como há o preconceito em relação ao envelhecimento, e ficar surdo é sinal de velhice, muitas pessoas negam que estão ouvindo menos para não usarem aparelho auditivo. O ideal é não negar a situação e procurar um otorrinolaringologista para fazer o exame. Às vezes basta retirar uma rolha de cerúmen. Se houver necessidade de usar aparelho auditivo, procure um fonoaudiólogo para receber as instruções corretas para a sua adaptação antes de colocá-lo pela primeira vez. Com o aparelho, ouve-se tudo misturado e em som alto, o que trará desconforto e má impressão levando a pessoa, muitas vezes, a deixá-lo de lado. A pessoa que não houve bem se isola ou serve de chacota para outras, podendo levá-la a um quadro de depressão.


Tato e sensibilidade: Estes também diminuem com o envelhecimento, tanto na região palmar quanto na plantar. Todo cuidado é pouco em trabalhos de jardinagem, porque podemos espetar os dedos; na cozinha, cuidado redobrado com panelas quentes. Devemos trabalhar sempre protegidos com roupas e equipamentos próprios. A diminuição do tato na região plantar nos obriga a caminhar  olhando com frequência para o chão. É também um dos fatores que leva à instabilidade postural e a quedas. Devemos estimular nosso tato e sensibilidade, passando nossos pés sobre superfícies irregulares, como uma caixa de sapatos com bolinhas de gude de diferentes tamanhos. Uma boa hora para essa atividade é quando estamos assistindo televisão.  
Paladar: Esse sentido não foge à regra. As papilas gustativas estão diminuídas e há uma tendência a aumentarmos a quantidade de sal e de açúcar nos alimentos. A higiene da boca e dos dentes é fundamental. A língua, se não escovada, ficará saburrosa; essa camada, cobrindo as papilas gustativas, prejudicará ainda mais o paladar. 


Dra. Silvia ReginaMendes Pereira
Médica Geriatra
Presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia - SBGG

3 comentários:

  1. O blog está super bacana!Parabéns!
    Já conhecem nosso site? http://www.panozon.com.br/index.html
    A Panozon Ambiental estará sempre por aqui, conferindo as novidades!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Panazon!
    O site de vocês traz muita informação bacana.. parabéns pela preocupação com a saúde!!
    Fiquem à vontade para sugerir e questionar.. este blog é feito para vocês!!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Perfeito, muito interessante, bom para aprender, muito bom mesmo.

    ResponderExcluir